segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Com a pulga atrás da orelha

“Surfcasting”
Boas pessoal!
Com o mar a baixar timidamente onde eu gosto de pescar, preparei uma jornada de surfcasting mas com a pulga atrás da orelha, pois tinha as minhas dúvidas se conseguiria pescar neste dia porque o mar ainda tinha algum tamanho e o vento na cara prometia dificultar a tarefa até à meia-noite pelo menos.


Fui a um spot que já não ia há bastante tempo e não estava sozinho!!  Havia um pescador lá mais ao fundo que estava sentado numa pedra a pescar com a cana na mão mas ao final do dia veio embora e meteu conversa comigo, um homem bem-falante que me pareceu ter alguma deficiência visual, pois eu não sabia se ele estava a olhar para mim ou para o chão, disse-me que não sentiu nada e que ia embora porque já estava farto de dar comida aos peixes… Despediu-se, virou costas e foi andando; quando eu olho para ele e vejo um belo dum rabo a sair do ceirão 😆  e disse cá pra mim “Olha lá o cabrão do zarolho tá a gozar comigo hãmmm” acho que o gajo tapou o peixe com uma camisa mas com o vento que estava o rabo do peixe ficou a descoberto… De qualquer maneira aquilo deu-me alguma motivação, pois podia ser que entrasse ali uns pexecos…


E assim foi, apesar daquelas rajadas de vento chatas a levantarem areia o mar até deixou pescar, não posso dizer que foi uma noite agradável por causa do vento mas ainda deu para safar bem a pesca com uns pexecos porreiros entre eles uma bela baila com para cima de kg.


Em noites destas não há melhor reforço do que um tacho de feijão com massa e um pedaço de linguiça entalada no pão acompanhado de um copo de vinho para desembaçar 👍 aqueles moços que estão habituados àquelas coisas light e  0%calorias e essas comidas maricas, esqueçam que isto é comida à homem…


Material utilizado
Canas:  Cinnetic Black Panther 4,20
            Cinnetic Panther Evolution 4,20
Carretos:  Cinnetic Cayman Black Evolution 7000
Linhas:  RayLine 0,18 nos carretos, chicotes Cinnetic e MIMETIC 0,40 nos estralhos


No dia seguinte ainda deu para curtir um bocado a Natureza e aproveitei para ir espreitar um faval que costumo visitar todos os anos na altura das favas, elas já lá estão mas ainda é cedo, se não me atrasar pode ser que faça lá uma paragem uma noite destas para fazer a maré, fica a promessa 😊

Saúde da boa e força aí pessoal.

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Mares de Sul


Boas pessoal!
Aproveitei estes mares do quadrante sul que tiveram aí para fazer uma jornada de surfcasting na Costa Sul, tinha algumas alternativas mas como havia lixo em algumas zonas da costa tive de passar ao plano B e fazer uns bons kms para fugir a esse maldito lixo que não deixa a malta pescar…
Chegado ao spot e depois de ver o mar até nem gostei muito do que os meus olhos viam mas não me restavam grandes alternativas a não ser adaptar-me às condições que o mar me oferecia naquele dia, o tempo prometia chuva mas também não havia problema pois se chovesse jogava-me para dentro de água e já não apanhava chuva 😊


E assim foi, adaptei-me às condições de mar e vento de frente moderado e depois de estar com 2h de pesca e já ter apanhado um Robaleco bom, eis que uma pesca ficou areada (bom eu logo vi que a festa estava a correr bem de mais) lá consegui safar a dita sem perder material e pouco depois apanhei mais outro Robaleco bom, pelo menos está a sair uns pexecos o que já é positivo para manter a moral das tropas em alta, ainda apanhei uns chuviscos mas nada de mais…


Deixando as canas a pescar fiz uma pausa para aconchegar o estomago e ali mesmo num recanto arrumado à falésia rapidamente preparei uma massa chinesa com atum, que bem que soube quando aquela comida quente chegou ao seu destino…
 Voltei à labuta e tinha lá outro Robaleco à minha espera, entretanto apareceram uns sargos bons para compor a geleira e fiquei por ali mais um pouco entretido, até as previsões que anunciavam começarem a dar sinal com os primeiros relâmpagos ao longe e a aproximarem-se aos poucos, era hora de levantar ferro e ir embora, com a geleira já bem composta não havia necessidade de estragar esta jornada a arrumar o material à pressa debaixo de chuva e trovoada, ainda bem que o fiz pois a viagem de regresso foi toda ela debaixo de chuva, mas feliz 😊


O resultado foi este 8,5 kilinhos de Robalos e Sargos até à meia-noite, se o tempo me tivesse deixado pescar mais umas horas quase de certeza que o resultado seria ainda melhor…


Material utilizado
Canas:  Cinnetic Black Panther 4,20
            Cinnetic Panther Evolution 4,20
Carretos:  Cinnetic Cayman Black Evolution 7000
Linhas:  RayLine 0,18 nos carretos e MIMETIC 0,40 nos estralhos


Agora não se esqueçam da regra nº1, deixar o pesqueiro mais limpo do que estava 😊
Saúde e força aí pessoal.

domingo, 12 de fevereiro de 2017

Dia de Matateus

“Chumbica”
Boas amigos!
Nos últimos dias tem feito uma boa invernada, dias lindos de chuva; vento; trovoada e mar grande, clima típico da época e que faz bastante falta, pelo menos aqui no Sul…
 Tem sido difícil arranjar alternativas para realizar as pescas de que eu gosto, os meus spots preferidos não oferecem condições de pesca e como tal decidi pescar nas alturas. Escolhi uma falésia que abrigasse dos grandes mares que tem feito e que ao mesmo tempo fizesse um bom rebojo e apresentasse umas águas bem oxigenadas para tentar uns Sargos.


O pesqueiro escolhido fica por cima duma furna, local normalmente escolhido pelos Matateus para se esconderem e abrigarem dos grandes mares, escolhi um anzol maior que o normal para seleccionar as capturas, pois devolver peixe a tantos metros de altura é quase impossível o peixe chegar lá a baixo em boas condições…
 Logo de início perdi dois bons Matateus que me apanharam distraído e entraram furna a dentro para se esconder nas fendas entre as rochas, estando eu nessa altura a pescar fino a linha acabou por ceder e partiu nas rochas… 


Irritado com aquilo tudo porque a pior coisa que me pode acontecer na pesca é perder peixe bom, mudei de táctica e passei para um 0,31 da MIMETIC 


4 Matateus = 4Kg
Foram poucos mas bons


MIMETIC
 Fluorocarbono
A linha invisível


O jantar ontem foi assim  😃


Pássaro do mar em terra sinal de vendaval no mar.
Hoje está assim.

Saúde e força aí pessoal.

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Apareceram ao cair do pano

“Surfcasting”
Boas amigos e seguidores!
Parece que afinal a tempestade “Doris” concentrou a sua força mais no centro e norte do País, aqui na Costa Sul entrou mar forte mas nada de mais e apenas tirou uns metros de areia, no lado Oeste não sei o que se passou…


Enquanto alguns pescadores aproveitaram estes dias de temporal para afinarem e limparem o material eu aproveitei para procurar um cantinho que me deixasse pescar, porque o material esse está sempre afinado e limpinho 😉
Estudei as condições e esperei que o mar perdesse um pouco a força para fazer uma jornada de surfcasting num spot diferente do habitual mas que é frequentado por uns peixes bons nesta altura do ano e quando há temporal na Costa ainda melhor.

Quando cheguei à praia a maré ainda tinha pouca água e mesmo em frente à passadeira de madeira tinha um pequeno fundão, mais ao lado havia um fundão grande mas já estava ocupado por dois pescadores então decidi ficar logo naquele que tinha à minha frente, ao menos não tinha de andar muito, não é que isso fosse problema para mim, mas de vez enquanto também sabe bem um pesqueiro fácil 😊


É bem visível como o mar no dia anterior andou a varrer estas dunas…

Já com as canas montadas e à pesca saíram umas pequenas bailas que foram devolvidas, sargos nem vê-los, nem grandes nem pequenos. A tarde foi passando e os tais pescadores que estavam no fundão ao lado foram embora ao final do dia, ainda tive na tentação de me mudar para lá mas como também já não ia ficar muito tempo aborreceu-me andar com a tralha às costas e fiquei onde estava…

Acho que fiz a escolha certa, pois assim que os homens viraram as costas uma das canas vergou de tal maneira que eu até me assustei, um peixe forte cravou-se na minha pesca e correu para a esquerda aproveitando a corrente que estava levando uns bons metros do RayLine 0,18, eu acompanhei o velhaco umas boas dezenas de metros até ele dar em seco, confesso que por momentos só pensava “aguenta-te 0,18 aguenta-te 0,18” foi uma satisfação enorme apanhar este peixe já no cair do pano quando estava quase para me ir embora. Faço o que tenho a fazer e quando vou lançar a cana novamente cruzei-me com a linha da outra cana que estava toda para a esquerda “Epá nã me digas que tenho outro 🐟  naquela” vou à dita cana e assim que recolho uns metros senti logo o velhaco a dar umas cabeçadas  😄  este já não correu tanto mas ainda passei por debaixo da outra cana e lá fui tirar o velhaco uns metros mais à frente… 


Safei a pesca no final da pesca com dois peixes excelentes que juntos acusaram 8 kg, ainda fiquei mais duas horas e nada, fiquei sem saber se entraram só estes dois ou se com eles andava mais algum, nunca tinha visto peixes deste calibre nesta praia… 


RAYLINE
Aproveito esta oportunidade para responder a alguns leitores que me questionaram anteriormente à cerca desta linha. Penso que é uma linha que está a render, neste caso esta linha tem quase cinco meses que está no carreto e com 9 utilizações, o que para um 0,18 é excelente pois é um diâmetro que perde elasticidade e resistência muito rapidamente e que pede cuidados redobrados, acho que tudo depende do cuidado que lhe damos após cada jornada de pesca, no entanto penso que mais uma jornada ou duas vou troca-lo, pois o seguro morreu de velho…


Material utilizado
Canas:  Cinnetic Black Panther 4,20
            Cinnetic Panther Evolution 4,20
Carretos:  Cinnetic Cayman Black Evolution 7000
Linhas:  RayLine 0,18 nos carretos e MIMETIC 0,40 nos estralhos


Alguém perdeu uns óculos de natação!?


Com o isco que sobrou ainda deu pa fazer uns lingueirões fritos à Lobo.

Saúde da boa e força aí pessoal.