segunda-feira, 6 de novembro de 2017

Tiro no escuro, tiro certeiro

“Spinning”
Boas pessoal!
O mar esteve uns dias de feição e fui fazer um spinning a ver se me calhava alguma coisa.
Cheguei ao spot já de noite, fui mais tarde para evitar como sempre o trânsito da rua nºEN125, ia a caminho e a pensar qual seria o laredo em que iria apostar nesta noite, resolvi ir a um spot que não ia há muito tempo e que não sabia se já tinha desareado ou se ainda tinha alguma areia, seria um tiro no escuro
Os dias estavam quentes mas as noites já eram frescas, um gajo sai de casa à verão mas tem de levar uma muda de inverno porque de noite e de madrugada já faz uma boa rijeza e se o vento encana de Leste ou Nordeste até miam, que saudades que eu tinha destas noites frescas.

A abordagem ao pesqueiro como sempre fez-se com cautela e devagarinho pois à noite os cuidados têm de ser redobrados e lá em baixo um simples movimento em falso ao caminhar por cima das pedras húmidas ou molhadas pode tornar-se bastante perigoso se não formos cautelosos.


Em acção de pesca ao fim de meia hora tive o primeiro peixe e talvez uma meia hora depois tive o segundo, dois Robalos já bons que valiam a investida, mais tarde tive um terceiro ataque bom mas não ferrou, era a “maldição” dos mares a cumprimentar-me, pois quase sempre quando isso me acontece não tenho mais qualquer ataque, o que se veio a confirmar mais tarde.


Este é um pesqueiro com alguns caprichos e esta foi uma jornada produtiva em termos de conhecimento e conclusões para o futuro, pois com o passar dos anos vai-se gravando certos pormenores na memória que mais cedo ou mais tarde contribuíram para o sucesso de uma boa pescaria.


Material utilizado
Cana:  Cinnetic Crafty Sea Bass CRB4 3m   
Carreto:  Cinnetic Cautiva ll 4500
Linhas: multi  RayBraid 0,18 com chicote 0,40 Skyline da Cinnetic
Artificial responsável pela captura: Crafty Minnow 150F (cor nº3)

A Crafty minnow 150F da Cinnetic tornou-se uma amostra imprescindível pare este tipo de pesqueiros de muita pedra e pouca água, pois ao contrário de outras amostras que afundam pouco e agarram mal esta é uma amostra que afunda pouco e agarra razoavelmente bem.


O amanhecer do dia seguinte revelou o que eu mais temia, dezenas de bóias junto à Costa denunciavam centenas de metros de redes e aparelhos alvorados, coisa que já faz parte daquela Costa quando o mar dá uma quebra de vários dias.


Depois de subir um laredo à noite e quando chego lá em cima, uma “sopa dos pobres” vem mesmo a calhar. (sopa dos pobres = sopa com uns bocados de pão para render mais)

 Nos últimos meses tenho vindo pouco para estas bandas como é normal no verão, então aproveitei a manhã seguinte para dar um “Olá” a algumas pessoas amigas que vivem na Vila e que eu vou conhecendo por aqui com o passar dos anos…


Corvos, o pássaro preto que representa o mal, há quem diga que representa o diabo, outros dizem que é o confidente das bruxas, seja lá o que for para mim tanto faz, eu gosto deles…


E quando se quer descansar de dia e as moscas não deixam, principalmente no Outono que elas andam alvoradas, lá se tem que improvisar uma rede mosquiteira.


Nunca gostei de usar o termo “grade” na pesca, pois prefiro o meu querido chibinho embora não tenha saudades nenhumas desse gajo, mas neste dia levei uma grade que alguém deixou no campo depois de ter feito um piquenique, infelizmente é assim…

Bom mas o verão parece que já lá vai e o mar começa a “serrar os dentes” como é normal nesta altura do ano, ele é que manda e resta-me esperar como ele me ensinou…
Pois a última palavra cabe sempre ao Mar Vicentino.
Saúde da boa e força aí pessoal.

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Crafty Sea bass 2.70m Light game da Cinnetic (update)

 “Spinning”
Boas pessoal!
A “Crafty Sea Bass 2.70m light game” é uma cana de spinning da Cinnetic que está comigo há já uns tempos, tenho esta cana para umas pescas mais ligeiras e também para usar com passeantes e pequenos vinis, artificiais esses que eu gosto de animar com alguns toques de ponteira.


Com base no que escrevi anteriormente quando apresentei esta cana aqui no blogue, resolvi fazer uma revisão e um apanhado de algumas capturas que já nem eu me lembrava 😊


Em carbono de “30 tones” e com 2,70m de comprimento tem 199g de peso com uma acção de 15-42 g é na minha opinião a cana ideal para pescas mais ligeiras. Vem equipada com passadores e porta carretos Fuji e tem uma cor bastante atractiva. O melhor ainda é o seu preço bastante simpático para a qualidade que esta cana tem.


O seu desempenho com vinis entre as 15 e as 30 g é excelente, pois ela tanto lança bem as 15g como as 30g, mais que isso não aconselho. Como eu gosto de trabalhar um vinil com pequenos toques de ponteira e sendo uma cana curta e leve mesmo depois de algumas horas não noto cansaço algum no pulso ou no ombro.


Falando agora um pouco do seu desempenho com amostras de superfície neste caso os passeantes até às 30g que são os mais usados por mim, efectua uns lançamentos certeiros e precisos, dá gosto trabalhar estas amostras com uns toques de ponteira energéticos, sendo óptima para quem gosta de praticar o “walk the dog” 


É macia tem um punho bastante confortável e vem equipada com componentes de alta qualidade, obedecendo assim na perfeição a três tipos de artificiais (vinis, passeantes e jerkbaits)
Já fez capturas de peixes de kilo até peixes de 4 kg e sendo ela uma cana bastante sensível transmite ao pescador um prazer enorme na altura de lutar com o peixe, até mesmo com exemplares de pequeno porte…


Não sendo o meu objectivo no início usar a “Crafty Sea Bass 2.70m light game” para pescar na praia não perdi a oportunidade de testa-la também neste terreno e fiquei surpreendido com o seu desempenho, lançando bastante bem os jerkbaits que costumo usar desde as 13g até às 30g.


Aproveito para informar que também existe em 2,40m com acção 10-30 g e 171 g de peso.
E também em 2,70 m com acção 10-35 g e 181 g de peso.


Fica uma pequena selecção de algumas capturas que fiz com esta cana no passado.
(Atenção que estas são fotos de capturas antigas e que já foram publicadas aqui no blogue)
Saúde e força aí pessoal…












segunda-feira, 16 de outubro de 2017

As boas vindas

“Spinning”
Boas pessoal!
Fartei-me de esperar que o calor se fosse embora e mesmo com altas temperaturas decidi fazer uma investida, optei pela vertente de spinning porque era menos uma preocupação que levaria às costas (não precisava de me preocupar com a temperatura do isco ou mudança da agua, etc)
Analisadas as condições decidi ir a um laredo norte ver se os Robalos dão a cara para lhes dar "as boas vindas", gosto tanto de spinnar nestes spots, locais que por vezes escondem umas boas surpresas. Arranquei de casa depois do jantar nas calmas e assim evitei o calor e o trânsito da "rua" EN.125, lá fui dormir no sítio que tinha em mente…


Levantei-me bem cedo para fazer o asseio da manhã e fui descendo com cautela, o facto de conhecer estes laredos há alguns anos convém ser prudente principalmente na descida e nas pedras molhadas, é sempre interessante voltar a estes sítios, à medida que vou descendo ou subindo vou relembrando algumas pedras e rachas que existem por ali tal como cabos que desapareceram e outros que foram instalados recentemente por pescadores ou mariscadores, trilhos que ficaram tapados com derrocadas e trilhos novos que aos poucos se vão moldando á medida que o pessoal por ali vai passando, são alguns dos aspectos que “temperam” a magia destes laredos de difícil acesso…

Comecei a pescar e já sentia o poder terapêutico desta Costa. Não demorou muito e tinha o primeiro Robalo a marcar presença de peixe na zona, facilmente o meti cá fora e já estava satisfeito, pois havia tanto tempo que não ferrava um ao spinning 😊 três ou quatro lançamentos depois e já tinha outro na ponta da linha, se um já era bom dois então melhor ainda (para a primeira investida ao spinning da temporada não está mau, pensava eu) depois mudei de spot porque a amostra estava a bater demasiado nas pedras e cerca de 30 minutos mais tarde estava lá o terceiro Robalo a marrar.

Com três peixes porreiros no ceirão e depois de tanto tempo sem spinnar estava mais que bom, ainda fiquei por ali um bocado sem sentir mais nada e foi até perder a amostra, de seguida dei por terminada esta jornada de spinning…


Há quem goste de passear nos centros comerciais, eu gosto de passear aqui no meu centro comercial…

As emoções que o spinning transmite são um desafio que nos faz querer sempre mais e mais, tornando assim esta pesca muito viciante.
Hoje o tempo já está mudado e os dias mais frescos que se tinham tornado uma miragem parece que se anunciam ao longe, a ver se é desta; pois já tenho saudades de vestir manga comprida.
Em relação à chuva que tanta falta faz, só a mãe Natureza é que pode por mão no assunto, seja ela muita ou pouca é bem-vinda mesmo que venha estragar os penteados dos mais vaidosos…


Neste tipo de pesqueiros (laredos) gosto de pescar com a Cautiva 3.30m da Cinnetic, é uma cana potente e versátil que no meu ver faz frente a situações mais exigentes como foi o caso neste dia em que o mar tinha um toque forte e havia muita pedra, sendo assim obrigado a apertar um pouco mais com eles, dois peixes capturados com vinil de 40g e um peixe capturado com a Crafty Minnow 150F.

Material utilizado
Cana: Cinnetic Cautiva 3,30m
Carreto:  Cinnetic Cautiva 4500
Linhas: multi RayBraid 0,18 com chicote 0,40 Skyline da Cinnetic
Artificial responsável pela captura: Vinil & Crafty Minnow 150F (sardinha)


Um lindo vale casado com o mar onde despeja as suas águas ricas em nutrientes há centenas ou milhares de anos, vai-se lá saber.


Armadilha mortal para alguém mais distraído


Mais uma noite de petisco com o amigo João Santana


E começa a guerra contra o lixo novamente, sempre que posso apanho algum, mesmo que não seja muito…

Saúde e força aí pessoal

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Outono quente

Boas pessoal!
Normalmente o Outono por aqui costuma ser quente, horas mais quentes com o sol a pique e tardes amenas, mas este está a ser um Outono mais quente que o habitual, é normal por aqui fazerem dias com temperaturas de 25º em Outubro, mas não é normal fazerem dias seguidos com temperaturas de 27/28º e mesmo 30º até as noites de Outubro que costumam arrefecer, este ano estão noites de verão…


As águas estão mais quentes agora do que estavam em Agosto e recentemente tiveram aí dois dias bons para se fazer uma pescasita aqui perto de casa, como a fome de pescar é mais que muita organizei-me e lá fui alimentar o vício…
Com alguns pescadores espalhados pela zona escolhi um sitio com menos gente e fiquei por ali.
Logo cedo o peixe começou a dar de sinal e lá foram saindo uns pexecos para ir compondo a geleira, ao mesmo tempo ia devolvendo outros que não me alegravam a vista, os vizinhos pouco peixe tiravam e nada devolviam, coisa que já é habitual neste pesqueiro, limitavam-se a olhar para o que eu estava a fazer, é por isso que eu gosto de pescar sozinho e se possível de noite… O dia foi passando e o tempo estava quente, ainda levei três fresquinhas para refrescar a garganta  😊


O resultado final ainda somou 11 kg de peixe numa mista bem variada 


Elas que se cuidem


Aproveito para postar mais umas fotos de um petisco feito com a malta do costume e no sítio do costume, brincadeira e risada não faltou…


A partir das 17h já o spot está à sombra e neste dia havia salada de ovas feita pelo João e salada à Lobo feita por mim…


Salada à Lobo, como diz o amigo João Santana  😊


Coisa mais linda.


Agora resta esperar que o tempo mude, pois isto não é bom para ninguém e muito menos para a Natureza que começa a trocar os ciclos, certamente  deve chover para a Feira de Faro como manda a tradição (quem é daqui sabe bem do que falo)
Saúde da boa e força aí pessoal.

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Dias de Outono

“Surfcasting”
Boas pessoal!
Com a chegada do Outono os dias continuam quentes por aqui, o sol embora quente já roda mais baixo e os donos das praias já retiraram o lixo (palhotas, toldos e tudo o que tem a ver com as concessões) os dias amenos já convidam a fazer umas investidas de surfcasting, então numa tarde destas fui dar um passeio e levei uma cana para me entreter…
Que bom que a estação de verão já acabou, não gosto do verão, detesto, odeio e isto de viver no Algarve já foi bom, há 20 anos atrás, falo por mim, claro…

Enquanto muitos esperam ansiosamente a chegada do verão para desfrutarem do que outros organizam para ganharem dinheiro eu espero ansiosamente a chegada do Outono/Inverno para desfrutar aquilo que eu organizo para mim próprio, quando muitos temem a chegada do inverno eu anseio a chegada deste, como dizia a minha avó “Óh raios partam moço marafado o que é para os outros o inferno é para ti o paraíso”


Ainda cheguei bem de dia e aproveitei para dar um mergulho, montei uma cana e fui pescando sem pressas, pois o objectivo era tentar alguma Dourada perdida ao final do dia, mas pelo que se ouve dizer este ano andam arredias e as que aparecem não são grandes, talvez por não ser ano delas ou por as águas não terem aquecido como em anos anteriores, é claro que há excepções e de vez enquanto um ou outro pescador mais afortunado lá consegue apanhar uma das boas ou fazer uma boa pesca de Douradas e depois há também aqueles que apanham muitas e grandes mas com a boca…


Esperei, esperei, tive vários toques de peixe pequeno, uma baila sem medida foi devolvida. A noite chegou, aguentei mais um pouco como tinha planeado e lá apareceu uma boa Dourada gorda como presente, pouco depois e já a queimar o tempo que tinha previsto arrumei e fui para casa, com a escassez que tanto falam por aí acho que não me posso queixar…


Muitas ou poucas, elas que se cuidem.

Material utilizado
Cana:  Cinnetic Black Panther 4,20
Carreto:  Cinnetic Cayman Black Evolution 7000
Linhas:  RayLine 0,18 no carreto, chicote Cinnetic e MIMETIC 0,31 no estralho


Bom como vem sendo hábito nos últimos posts, agora é a parte do convívio e do petisco e como a última petiscada correu bem e em equipa que ganha não se mexe lá tive de convocar os mesmos 😊😊
Rei do sargo o Capitão e eu 😊 risada, galhofa, percebes e cerveja não faltou neste dia…


O amigo João Santana não falha e ofereceu-se para trazer uma salada de polvo e uns percebes para aproveitar antes de começar o defeso (um gajo também tem de comer alguma coisa) eu orientei o resto e foi só esperar pelo João, enquanto ele não chegava eu e o Capitão lá tivemos que beber duas cada um hehehehehe…
 Tivemos ali umas horas bem passadas na conversa até acabar com aquilo e quando demos por nós era de noite.


“Coisa mais linda”

A ver se o tempo fica de feição para fazer umas investidas à séria, gosto muito do inicio de uma nova temporada, pois nunca se sabe os desafios que uma nova temporada poderá trazer…
Saúde e força aí pessoal.

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Revisão de linhas

“Surfcasting”
Boas pessoal!
Por regra todos os anos no início da minha nova temporada gosto de fazer uma pequena revisão ao material, este ano não será excepção…


Durante uns meses o material ficou parado, as linhas que foram usadas algumas vezes e agora com esta pausa têm tendência em secar mesmo que bem tratadas e de boa qualidade…
Quanto mais fina é a linha mais cuidado requer por parte do pescador, seria bom poder equipar um carreto só com uma bobine de 0,50 e siga caminho, mas hoje em dia se quisermos ser bem sucedidos no surfcasting temos de acompanhar a evolução das linhas e ter vários diâmetros preparados para usar consoante o estado do mar ou condições do pesqueiro, ou então arriscamo-nos a não conseguir pescar por vários motivos…


Ontem foi dia de mudar algumas linhas e certificar-me de que está tudo afinado, para que um dia destes não haja nenhum amargo de boca e depois dizer (áh e tal já devia ter substituído esta linha) nada disso, a melhor maneira de evitar estas situações é anteciparmo-nos a elas…
Depois de uma pequena revisão aos carretos de surfcasting, substituí as linhas velhas por linhas novas e respectivos “chicotes”, no caso do 0,18 foram duas bobines preenchidas de RayLine (Orange fire) da Cinnetic, já no caso do 0,24 foram também duas bobines e a escolha foi para o SkyLine (red inferno) da Cinnetic
A escolha entre uma e outra não teve nenhum fundamento especial, a SkyLine é uma linha que dispensa apresentações e com provas dadas que mantém a confiança de muitos pescadores de surfcasting.
A RayLine é uma linha mais recente mas que não fica atrás da anterior, a temporada passada pesquei com ela durante todo o inverno e portou-se bastante bem, com uma durabilidade incrível, logo e por enquanto é com esta que vou pescar no diâmetro de 0,18mm.


Como todos nós sabemos há inúmeras situações que podem correr mal numa jornada de pesca, mas se as linhas forem de boa qualidade e estiverem sempre em bom estado já é meio caminho andado para o sucesso.
Saúde e força aí pessoal.


segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Investida na Ria


Boas pessoal!
Tinha prometido a mim mesmo que este ano não fazia uma única investida ilhada aqui na Ria à porta de casa, estava a conseguir cumprir o prometido até um dia destes em que um amigo me ofereceu algum isco que lhe tinha sobrado da pesca do dia anterior incluindo umas minhocas brancas que o seu destino mais certo seria o lixo. Fiz o favor de lhe ficar com o isco e como não tinha planos de nenhuma jornada de pesca a sério decidi fazer uma pescasita rápida só para gasta-lo. Acordei um dia bem cedo e lá vai ele dar comida aos peixinhos…


Entrei na água ainda pouco se via e lá fui dando à barbatana até chegar ao local escolhido. Cana montada e assim que cai lá no sitio comecei logo a sentir a maldita “ruama” que num abrir e fechar de olhos desfaziam as pobres das minhocas. Esta é a razão porque me aborrece fazer estas investidas na Ria e pela qual este ano não tenho apostado neste tipo de pesca, a quantidade de peixe miúdo é tanta que nem deixam um peixe ou outro mais jeitoso chegar perto da isca…
Sinceramente tinha saudades do silêncio matinal da Ria mas com certeza terá sido a única investida deste verão por estas bandas…


No entanto ainda consegui engatar uma boa safata que fiz todo gosto em trazê-la para o almoço (um gajo também tem de comer alguma coisa)  😊


Estes apareceram para a foto


Pronta para ir para a mesa (um gajo também tem de comer alguma coisa) 😊


Um dia destes em que o João Santana esteve por cá, resolvemos combinar uma petiscada como manda a tradição cada vez que ele cá vem, neste dia convidei um amigo que está sempre pronto para beber umas cervejas e lá se juntou a nós, o “Capitão” também conhecido por o “Rei do Charroco” hehehehehe, o homem em dez peixes que apanha nove são charrocos hehehehehe…


Dividimos o mal pelas aldeias e cada um trouxe alguma coisa, o resultado foi este: percebes, camarão, azeitonas, pão, patê, etc…
(Um gajo também tem de comer alguma coisa) 😊


Até uma sangria branca eu fiz neste dia, veio mesmo a calhar gelada e depois de estar a apurar o dia todo.

Este foi um bom dia de pesca, boa comida e boa companhia, nem imaginam o peixe que se apanhou ali à volta daquela mesa  hahahhaaha…
Saúde e força aí pessoal.